Primeira startup brasileira de logística, Mandaê soma mais de mil clientes

Primeira startup brasileira de logística, Mandaê soma mais de mil clientes.Com a expansão do e-commerce no Brasil, empresa se firma no mercado como uma solução indispensável para lojas virtuais que precisam otimizar o  processo de entrega dos produtos.
Neste mês, a Mandaê comemora dois anos desde a sua fundação. A empresa que oferece um serviço completo de coleta, empacotamento e postagem de encomendas para dentro e fora do Brasil tem se consolidado como a solução ideal para comércios eletrônicos. Fundada em abril de 2014, a startup oferece agilidade, comodidade e praticidade no momento de fazer as entregas das mercadorias vendidas. Atualmente, a Mandaê atende mais de mil lojas virtuais com sede nas cidades de São Paulo e Osasco (SP). Nos próximos anos, a startup planeja expandir sua área de coleta, ampliando os atuais 44 mil CEPs atendidos.
Em meio à expansão de e-commerce no Brasil, a empresa tem apresentado crescimento de 30% ao mês. O setor de comércios eletrônicos teve faturamento de R$ 41,3 bilhões em 2015, o que representa um crescimento de 15,3% na comparação com o ano anterior. A expectativa para 2016 é um faturamento ainda maior, de R$ 44,6 bilhões. Os dados são do relatório Webshopper, realizado pelo E-bit / Buscapé e divulgado em fevereiro.

“Mais que coletar, empacotar e postar encomendas, o intuito da Mandaê é ajudar a alavancar as operações dos mais diferentes tipos de e-commerces. Queremos tanto impulsionar pequenos e médios negócios que ainda estão em fase de consolidação quanto auxiliar grandes negócios que estão em busca de fornecedores para ampliar a sua capacidade de distribuição”, afirma o sócio-fundador da Mandaê, Marcelo Fujomoto.

A Mandaê também tem chamado a atenção de alguns dos maiores investidores internacionais devido à sua solução logística inovadora. Com o último aporte de R$ 10 milhões de Qualcomm Ventures, Monashees e Valor Capital, a empresa do libanês Karim Hardane e do brasileiro naturalizado norte-americano Marcelo Fujimoto soma R$ 15 milhões em investimentos.

Entre os segredos do sucesso da Mandaê está a facilidade para solicitar os serviços da empresa. É preciso apenas informar os locais de retirada e de entrega das mercadorias e escolher o modo de envio de sua preferência por meio do site www.mandae.com.br ou do aplicativo disponível para Android e iOS. Em cerca de uma hora, um dos águias (funcionários especializados na retirada dos produtos) da Mandaê irá até o endereço de retirada indicado para buscar e levar os produtos diretamente para o centro de distribuição da empresa para que eles sejam empacotados e encaminhados para uma agência dos Correios ou uma transportadora parceira com o máximo de segurança possível.

Sobre a Mandaê
Dezenas de milhares de itens vendidos online, horas intermináveis montando caixas, empacotando e postando. Essa foi a experiência anterior de Karim Hardane (30 anos) e de Marcelo Fujimoto (37) operando uma loja de e-commerce. E assim, eles pensaram: “Como seria bom se a gente não tivesse que se preocupar com a parte logística do nosso negócio”.

Então eles começaram a pensar em como usar essa experiência para simplificar o processo de envio, a fim de permitir que outros vendedores focassem seus esforços na expansão de seus negócios ao invés de se preocupar com os envios. Assim, em 2014, surgia a Mandaê, uma startup especializada em embalar e enviar vários tipos de objetos, sejam roupas, eletrônicos e até pinturas.
A startup tem tanto potencial que chamou a atenção de Qualcomm Ventures, Monashees Capital e Valor Capital. Além desses reconhecidos fundos, o ex-CEO da DHL Express USA, Hans Kickler, também apostou na marca. Com esses investidores, a Mandaê recebeu R$ 15 milhões de aportes e não descarta próximas rodadas de investimentos.

Fonte: Maxpress e Economidia

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe um comentário