Logística Hospitalar : “5 rights”: os cinco certos da administração de medicamentos

Logística Hospitalar: Tema frequente no noticiário brasileiro dos últimos meses, a segurança do paciente vem chamando a atenção de profissionais de saúde e das diretorias de hospitais. Erros na administração de medicamentos, utilização de materiais vencidos, perdas ao longo da cadeia, entre outros equívocos podem significar enormes prejuízos à saúde dos pacientes, assim como à imagem do hospital.

Uma das recomendações mais usadas em todo o mundo para reduzir erros e, consequentemente, possíveis danos ao paciente na administração de medicamentos é adotar como premissa os chamados Five Rights of Medication Management, em uma tradução livre os Cinco Certos da Administração de Medicamentos. Indicada pelo Institute of Medicine (IOM) dos Estados Unidos, a lista é a seguinte:

paciente

 

1. The right patient: o paciente certo – garantir que o paciente a ser medicado é mesmo o paciente correto;

 

 

droga

 

2. The right drug: o medicamento certo – certificar-se de que a medicação é a certa para aquele paciente;

 

 

 

3. The right route: a via certa – oral, sublingual, retal, tópica, parental… confirmar o uso correto do medicamento;

 

dose

 

 4. The right dose: a dose certa – evitar superdosagem ou infra dosagem, acertando a dose indicada;

 

 

hora

 5. The right time: a hora certa – aplicar o medicamento nos horários previstos.

 

Quando um erro de medicação acontece, a primeira atitude adotada pela maioria das organizações de saúde e, principalmente pela mídia, é culpar o(a) enfermeiro(a). Entretanto, de acordo com os estudos mais recentes da administração hospitalar, os five rights não devem ser adotados somente pela equipe de enfermagem, mas incorporados a todos os processos hospitalares que envolvam o gerenciamento de medicamentos e pessoas, sejam elas pacientes ou funcionários.

“Para isso, é preciso que os setores de tomada de decisão das organizações de saúde adotem as mais inovadoras técnicas e ferramentas da gestão hospitalar, com a implantação de soluções de Tecnologia da Informação (TI) criadas especificamente para esta área”, diz Gustavo Ramos, Coordenador de desenvolvimento de software da Gtt Healthcare, empresa de tecnologia catarinense que oferece soluções em tecnologias de autoidentificação e automatização de processos hospitalares.

Fonte: GTT Healthcare

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe um comentário