Domínio Capital cria fundo de 355 milhões de euros para investir no Brasil

Grupo Dominio Capital

O Grupo Domínio Capital acaba de criar um fundo de investimento imobiliário de 500 milhões de dólares (cerca de 355,6 milhões de euros) para investir exclusivamente em imobiliário no Brasil – escritórios, complexos industriais e logística. Para isso o grupo português, liderado por Carlos Pinto Ferreira, associou-se ao Paladin Realty Partners, um fundo de private equity norte-americano que é o principal investidor imobiliário internacional no Brasil.

Esta parceria (‘co-partnership’) está assim consumada na constituição do Fundo de Investimento Imobiliário conjunto – Paladin – Domínio Brazil Office & Industrial Partners.

Apesar de serem discretos, o grupo Dominio Capital está em Portugal desde 2004. É um grupo português que tem como parceiro, em diversas áreas, a petrolífera angolana Sonangol. Actuam como investidores e prestam serviços de estruturação de operações à medida dos seus clientes e parceiros .

O Grupo Domínio Capital actua como investidor e parceiro estratégico para o desenvolvimento e promoção de oportunidades nas áreas de Imobiliário; Mercados de Capitais; Fund Raising & Private Equity; Energia e Agricultura, com veículos próprios e através da presença internacional que já é significativa.

O grupo está presente em Angola, Malta, Estados Unidos, Líbano e Brasil, através de escritórios de representação com equipas locais.

No site do grupo é possível ver que têm grande ligação a Angola: são parceiros da Soco Cabinda na exploração de petróleo do norte de Cabinda, para além de participarem em vários projectos imobiliários naquele país. Em Portugal participaram na estruturação e criação do Banco para a Promoção e Desenvolvimento, anunciado em 2009. Uma instituição criada pela Caixa Geral de Depósitos e pela Sonangol para dinamizar a bolsa de Luanda com a abertura de capital de empresas, suas participadas, que venham a ser criadas para desenvolver projectos estruturantes em Angola.

O grupo português é presidido por Carlos Pinto Ferreira e tem como administradores executivos Pedro Pinto Ferreira e Bernardo Theotónio Pereira, Artur Soares Coelho e Luís Munoz. Os seus principais parceiros são a Sonangol, o Grupo Carlyle, o Banco Atlántico e o GazpromBank Investment, entre outros.

Bernardo Theotónio Pereira e Pedro Pinto Ferreira explicam ao Diário Económico que têm “colaborado com vários Private Equities internacionais promovendo novos projectos, políticas de Fund Raising e fomentando novas relações e contactos, em especial, com países de língua Portuguesa”. Os administradores dizem que estão há dois anos a estruturar o fundo de investimento imobiliário que agora apresentam, exclusivamente direccionado para a área industrial (escritórios e logística) no Brasil.

É conhecido o interesse da Sonangol, maior accionista do BCP, no Brasil, pelo que o Grupo Domínio Capital – que actua como investidor e presta serviços de estruturação de operações à medida dos clientes e parceiros – pode ser mais um veículo português para os angolanos investirem no mercado brasileiro

Fonte: Diário Económico

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe um comentário