China e EUA iniciam Iniciativa Megaportos para garantir segurança de transporte de cargas

Yangshan Port Balanced - Wikipedia

A China e os Estados Unidos lançaram nesta quarta-feira em Shanghai um projeto piloto da Iniciativa Megaportos, para intensificar a inspeção de segurança e prevenir o tráfico ilícito de materiais radioativos no porto de Yangshan.
O projeto, que é parte importante das cooperações bilaterais de combate ao terrorismo, tem como objetivo prevenir o tráfico ilícito de materiais nucleares e de outros materiais radioativos instalando sistemas de detecção nos portos.
Os dois países assinaram um Memorando de Entendimento (MOU) sobre o projeto em novembro de 2005 e começaram conversações técnicas sobre os 11 anexos do MOU em fevereiro de 2006. As conversas terminaram em maio de 2007.
De acordo com o plano de cooperação, o projeto piloto no porto de Yangshan será implementado de forma conjunta pela Administração Geral das Alfândegas e Administração Geral da Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China, e pelo Departamento de Energia dos Estados Unidos.
“Por meio desse projeto, a China e os Estados Unidos fizeram uma série de trabalhos frutíferos em cooperação de segurança alfandegária e treinamento de tecnologia de detecção radioativa, construindo uma base sólida para as cooperações bilaterais de combate ao terrorismo”, disse Lu Peijun, vice-comissário da Administração Geral das Alfândegas, durante a cerimônia de lançamento do projeto piloto no porto de Yangshan.
“Ao mesmo tempo, a Iniciativa Megaportos também se tornou um importante canal para a intensificação da segurança e a facilitação do comércio exterior”, disse Lu.
Até agora, 18 unidades de equipamentos de detecção radioativa foram instaladas nas águas profundas de Yangshan, e também foi construído um centro de controle.
O início do projeto piloto em Yangshan marca a criação do 40º porto desse tipo dentro da Iniciativa Megaportos, e o primeiro na China.
O projeto mostra “o compromisso do governo chinês de interditar os materiais nucleares e combater o terrorismo nuclear”, assinalou durante a cerimônia Thomas D’Agostino, chefe da Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA.
O porto de Yangshan exportou cerca de 3,9 milhões de contêineres entre janeiro e outubro deste ano, dos quais 17,6% tinham como destino os Estados Unidos, segundo dados da alfândega.

Fonte: Agência Xinhua e CBCDE

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Deixe um comentário